Notícias

Entenda as 5 principais bancas examinadoras de concursos policiais

Entenda as 5 principais bancas examinadoras de concursos policiais
28-09-21 | Variedades | admin | Tags: , , , , , ,

Você já parou para pesquisar sobre as bancas examinadoras? Você que é novo no mundo dos concursos, deve ter escutado algo do tipo: saiu a banca e é a CESPE. Então continue a leitura que vou te explicar melhor.

Vamos primeiro falar sobre a banca examinadora ou organizadora e depois te explicamos um pouco sobre cada uma delas. Sim, temos mais de uma e pode ser que você tenha uma relação de amor e ódio com uma delas. 

Caso você já tenha ouvido falar em “comissão organizadora”, saiba que são coisas distintas. 

Comissões organizadoras são um grupo de especialistas responsáveis por intermediar o processo de seleção entre a pessoa solicitante e a instituição organizadora. A banca define como será a estrutura básica da prova do concurso.

No concurso da PCRJ, por exemplo, foram assinados contratos com duas bancas com estilos diferentes de aplicação de exame. Algumas dessas características fazem diferença na hora de resolver questões e principalmente na resolução dos simulados. 

Alguns concursos regionais fecham contratos com as bancas locais, enquanto outros, como a PCDF, preferem bancas mais conhecidas como a CEBRASPE (CESPE). Veja abaixo algumas características, mais marcantes, das principais bancas responsáveis pela elaboração dos concursos policiais.


1.    Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CEBRASPE ou CESPE):

A banca que o concurseiro tem uma relação de amor e ódio. Na prova objetiva é possível deixar questões em branco e em alguns casos, na prova discursiva, a banca indica os tópicos que você precisa discorrer.

A notícia ruim é que, uma errada anula uma certa, ou seja, você pode ao final da prova ficar devendo ponto para banca hehe 😓

Para dificultar um pouco mais a vida do candidato, a banca retirou os indicadores de linhas na prova discursiva. A dica, então, é: antes de ler os textos, faça a enumeração das linhas.


2.    Fundação Getulio Vargas (FGV): 

A FGV é a organizadora dos concursos das câmaras municipais, da Polícia Civil do Rio de Janeiro, dentre outros concursos. 

Para especialistas da área, é uma das bancas mais imprevisíveis, já que a cada ano suas exigências mudam. Normalmente, cobram uma ação mais prática na parte de direito, com resolução de casos e aplicação da lei. Em português, mesclam questões de interpretação de texto e análises gramaticais.

Pode ser um pouco complicado estudar tendo como base as provas anteriores, já que o candidato realmente não sabe o que virá pela frente. O bizu dessa banca é ficar atento a letra da lei, treinar reescrita de frases e interpretação de texto. Assim como a CESPE, a FGV também pode trazer textos muito longos.


3.    Fundação Carlos Chagas (FCC): 

A FCC tem uma grande tradição em concursos e realiza exames em todas as esferas federativas. Geralmente cobra questões de múltipla escolha muito objetivas e, ainda que extensas, não possuem muitas dificuldades de resolução.

O foco dessa banca é a letra de lei, sendo necessária a leitura da “lei seca” para não perder pontos importantes. As questões de português e direito são bem equilibradas e necessitam de um grau de análise maior.

Não possui pegadinhas em suas questões, como de costume da banca Cebraspe, porém os enunciados de múltipla escolha podem pedir a questão INCORRETA, e  alguns candidatos perdem pontos por lerem apressadamente.


4.    Vunesp: 

Ela é responsável pela organização das provas para a Polícia Civil de São Paulo. Nos concursos, a banca tende a ser tranquila, mesmo que esteja tentando complicar um pouco.

A parte de português cobra conteúdos mais analíticos em conjunto com exigências ortográficas. 

Quanto à área jurídica, o texto da lei é pedido. Por isso, é possível se preparar através da resolução de questões antigas, com foco no aprendizado das leis e das regras gramaticais.


5.    Fundação Cesgranrio

A Fundação Cesgranrio normalmente produz os exames da Petrobras, de bancos, do IBGE e da Liquigás. 

Esta banca é reconhecida como uma das mais metódicas da área, com as provas separadas por matérias. 

Há uma mescla entre as exigências da FCC – com conteúdos que visam a interpretação de textos e a contextualização dos dados – e do Cespe, mas sem a complexidade encontrada neste último.


Por fim, galera, resolva bastante questões da banca examinadora do seu concurso alvo e simule, ao menos uma vez por semana, a prova num ambiente similar ao que você vai encontrar no dia “D”.

Curtiu o conteúdo? Então, compartilhe essa matéria com as pessoas que também estudam para concursos públicos.

Vamos juntos!

Sua aprovação é o nosso objetivo!

Comentários