Notícias

Lotações no concurso da Polícia Federal

Lotações no concurso da Polícia Federal
20-07-19 | Lotações de Fronteira | admin |

Há anos o concurso da Polícia Federal tem sido feito em caráter nacional, seguindo a lógica de alguns outros concursos federais de grande porte. Isso significa que, diferentemente de concursos em que você se inscreve para uma vaga em uma cidade pré-definida, no concurso da Polícia Federal você se inscreve sem saber em que local vai trabalhar. Tal sistemática traz vantagens, como o fato de escolher os que se saíram melhores sem distorções entre as notas de diferentes regiões, porém traz como desvantagem essa falta de previsibilidade quanto à cidade e ao ramo de trabalho que você desempenhará no início. Não se assuste, porém, já que existem muitas regras que visam criar um sistema justo, e podemos afirmar que são poucas as pessoas que desistem de assumir o cargo por causa de fatores ligados à localização da sua vaga.

Quando a Polícia Federal abre o concurso, ao mesmo tempo em que os candidatos estão concluindo sua preparação e almejando as vagas oferecidas (cuja quantidade já é fornecida no edital) a área administrativa está, em paralelo, definindo as necessidades do órgão. Desse modo, serão definidos os locais agraciados com as vagas, que podem estar em qualquer local do país, desde as unidades mais desejadas (como Florianópolis no sul do País e algumas capitais do Nordeste, por exemplo) até unidades menos procuradas, como algumas no Norte do país.

Definidos os locais, é aberto um concurso interno de remoção, no qual participarão as pessoas que já estão trabalhando, provenientes de concursos anteriores. Embora tenha esse nome, o concurso de remoção não é baseado em uma prova: a prioridade de escolha dos servidores é definida por um ranking, que é formado basicamente pelo resultado da multiplicação entre os dias corridos de trabalho como Policial Federal e a pontuação da cidade em que o servidor está lotado (há alguns critérios a mais que também dão pontos, porém de menor importância para uma análise inicial).

Essas vagas que sobraram do concurso interno serão oferecidas aos novos ingressantes, e a prioridade de escolha se dará com base na classificação final do candidato no concurso público. No momento apropriado, após a sindicância de vida pregressa, será solicitada a escolha a todos os candidatos, que escolherão uma única cidade disponível no final do curso de formação (na ANP). A cidade e a ordem de escolha é realizada em um dia específico, no teatro arena, na ANP, via microfone na presença de todos os candidatos.

As lotações na região da fronteira e os locais com dificuldade de fixação de efetivo, possuem um diferencial. Em 2017 o ex Presidente da República, Michel Temer, aprovou um decreto que garante a indenização a policiais e fiscais que trabalham nessas regiões. O direito já existia desde 2013, garantido pela lei nº 12.855. Mas com o decreto determinando o pagamento da indenização, houve um aumento no valor da indenização, valorizando o trabalho na região fronteiriça e nos locais de difícil fixação de efetivo (Policiais da Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), fiscais da Receita Federal, auditores fiscais agropecuários e auditores do trabalho recebem adicional de R$ 91 reais a cada oito horas trabalhadas nas fronteiras).

Nos próximos artigos, estaremos descrevendo cada região da fronteira, como moradia, custo de vida, local de trabalho e outros. Fiquem ligados que os artigos irão ajudá-los a escolher o seu próximo local de trabalho 😉

 

 

 

Comentários