Notícias

Qual o horário de trabalho de um policial civil no Rio de Janeiro?

Qual o horário de trabalho de um policial civil no Rio de Janeiro?
04-11-20 | Variedades | admin | Tags: , , , ,

Salve, Guerreiros (as)!

Hoje gostaria que vocês fizessem uma reflexão.

Nesta quarta-feira, dia 04/11/20, o Governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, anunciou que a autorização do concurso para Polícia Civil do Rio de Janeiro será publicado na quinta-feira dia 05/11.

Ao todo, estima-se que serão 864 vagas para todos os níveis de escolaridade. Desse total, 12 serão para auxiliar de necropsia (nível fundamental), 16 para técnico de necropsia (nível médio), 54 para perito legista e 20 para perito criminal.

Agora, imagine que após meses, ou até mesmo anos de estudo, você consiga a tão sonhada aprovação.

Já parou para pensar em qual regime de horário seria a sua preferência? Qual função? Qual Delegacia gostaria de trabalhar?

Este post vai iluminar um pouquinho a sua visão de como é estar dentro da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.

Antes de começarmos, é sempre bom lembrar que o último concurso para Inspetor de Polícia cobrou os conhecimentos de Português, Informática, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Penal, Direito Processual Penal e Legislação Penal Especial. Além disso, foi necessário que o candidato tivesse conhecimento sobre o Estatuto da Polícia Civil do Rio de Janeiro, bem como sobre o Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado. O cargo de Investigador de Polícia (nível médio) poderá ter o conteúdo do edital bem próximo ao cargo de Inspetor de Polícia.

A Monitoria Estratégica Policial do OPERAÇÃO FEDERAL abrange todas as matérias básicas cobradas no último concurso, com a exceção dos estatutos. É uma excelente forma para você se preparar de forma guiada, objetiva e com qualidade para esse certame.

Agora, sem mais delongas, vamos às informações!

DELEGACIAS DISTRITAIS X DELEGACIAS ESPECIALIZADAS

As delegacias distritais são as grandes responsáveis pelo atendimento ao público e pelas investigações ocorridas em suas áreas de circunscrição. No Rio de Janeiro elas estão divididas, basicamente, em três grandes departamentos: DGPC (Departamento Geral de Polícia da Capital), DGPB (Departamento Geral de Polícia da Baixada) e DGPI (Departamento Geral de Polícia do Interior).

Nas delegacias distritais existem diversos setores como os GIs (Grupos de Investigação) que se dividem em investigação inicial e investigação de segmento, o SESOP (Setor de Suporte Operacional) que é a área administrativa da Delegacia, SIP (Setor de Inteligência) e o GIC (Grupo de Investigação complementar) que atuam nas investigações mais complexas.

As Delegacias Especializadas pertencem ao DGPE (Departamento Geral de Delegacia Especializada) e atuam em áreas especificas de combate ao crime como a DRFA (Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis), DRFC (Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas) e DCOD (Delegacia de Combate às Drogas). Além delas, que são delegacias operacionais, também existem no DGPE as delegacias de natureza fiscalizatória como a DECON (Delegacia do Consumidor) e a DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente).

O DGHPP (Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoas) engloba as três Divisões de Homicídios do Estado (Capital, Baixada Fluminense e Niterói – São Gonçalo). Nas divisões de Homicídios existem equipes especialmente designadas para o comparecimento nos locais de crime, os GELCs (Grupo Especializado em Locais de Crime) e os GIs, que atuam na apuração da materialidade e autoria dos crimes contra a vida.

Além desses departamentos, a estrutura da PCERJ também inclui a área administrativa da instituição, o DGCOR-LD (Departamento Geral de Investigação à Corrupção, ao Crime Organizado e a Lavagem de Dinheiro), a unidade de inteligência e a CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais) unidade operacional de elite da Polícia Civil, entre outras.

 

 REGIME DE HORÁRIO

A Polícia Civil fluminense trabalha com basicamente dois regimes de horário. A escala de plantão de 24h x 72h (vinte e quatro horas trabalhadas para setenta e duas horas de descanso) e o regime de expediente, de segunda a sexta em horário comercial.

O plantão nas delegacias distritais é o responsável pelo atendimento ao público e as diligências iniciais da investigação. Após o Registro de Ocorrência e primeiras atuações, a investigação segue para o GI de segmento que, em regra, trabalha em horário de expediente comercial.

O regime nas delegacias especializadas é em sua maioria baseado em horário de expediente, porém algumas possuem plantão para casos de emergência como é o caso da DRCI (Delegacia de Combate aos crimes de Informática) e as Divisões de Homicídios nas quais o plantão -composto pelo GELC – é parte fundamental para o funcionamento da unidade.

Lembrando aos aspirantes à guerreiros da PCERJ que nada impede que o expediente, bem como o plantão, sejam acionados em suas folgas para reforços, operações e outras diligências emergenciais ou de relevância.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Não existe uma verdade absoluta quanto ao melhor regime de horário para ser escolhido, variando de pessoa para pessoa onde se encaixar. Estudos, vida privada, entre outros, são o melhor norte para a decisão. Quanto à função, nos anos iniciais o melhor a fazer é aprender o máximo possível de todas elas para se tornar um profissional completo.

E ai, Guerreiros! Ficaram animados?

Lembrem-se que nós, do Operação Federal, estamos aqui para ajudar no caminho para a tão sonhada aprovação. Clique aqui  para começar os seus estudos de forma dirigida e consciente não só para a PCERJ, mas para a todas as polícias civis do Brasil.

 

Comentários